segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A barata que saiu caro...ECA!!!



Barata é o horror de todas as mulheres que eu conheço. Tem umas que correm pra longe quando as vêem, enquanto outras pulam pra cima. Eu faço parte desta última. Quando criança recordo-me que meu lado psicopata aflorava quando via uma barata. Enquanto não a matava não sossegava. Matava-as com sandália, ou com qualquer outro objeto que as deixassem totalmente massacradas, nem que depois gastasse litros de desinfetante para lavar as sandália e o chão. Com o tempo, minha mãe começou a me profissionalizar, virei uma serial killer de baratas utilizando inseticidas mais sofisticados. Mas, isto não quer dizer que elas morriam envenenadas. Elas morriam afogadas de tanto eu colocar veneno em cima delas. Teve uma ocasião que estava estudando com uma amiga e de repente quem aparece?...uma barata. A minha amiga deu um grito e correu para o quarto, deixando sua bolsa na sala. Enquanto isto eu peguei o inseticida e sai correndo atrás da danada que me fazia de besta. E eu correndo na ânsia de exterminá-la, sai espalhando inseticida por todo lugar que ela passava deixando rastro. Daí, onde ela se escondeu? Na bolsa da minha amiga! Não contei conversa, afoguei-a dentro da bolsa mesmo.
Mas, esta barata não tem nada a ver com a que eu matei ontem, à noite. Essa era maratonista. Devia ter vindo do Kênia ou da Jamaica pois a peste corria com uma velocidade que nunca vi, parecia Usain Bolt, recordista de corrida de 100 mts … só para ter uma ideia, eu gastei quase a metade de um inseticida e nada dela morrer…acabando o inseticida, peguei uma vassoura e sai correndo atrás dela….quebrei o cabo da vassoura ao sair batendo no chão e nas paredes, sem no entanto, tocá-la nem por um instante. Não desistindo, porque se tratava de uma questão de honra neste momento, fui pegar outra vassoura….sabe o que aconteceu?...quebrei outro cabo de vassoura. Cansada e ofegante, já olhando para uns sapatos, a danada desapareceu pela janela. Ufa!...ainda bem, pois não tinha mais energia para aquela barata. Sai pra comprar vassouras.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

MULHERES, SÓ MULHERES!!!!!


Diante minha falta de tempo para "postar", transfiro algumas mensagens que recebo por e-mail das quais eu me divirto. Embora, já seja conhecida por algumas pessoas,eu creio, vale à pena rever a obra criativa abaixo que por sinal, não tem nada de ficção...é pura realidade....hahaha.


COISAS QUE SÓ UMA MULHER CONSEGUE:

1 - Fingir naturalidade durante um exame ginecológico.

2 - Usar o poder de uma calça jeans para rediagramar a estrutura do corpo.

3 - Ter crise conjugal, crise existencial, crise de identidade e crise de nervos!

4 - Ser mãe solteira, mãe casada, mãe separada e mãe do marido.

5 - Lavar a calcinha no chuveiro. E depois pendurá-la no box para horror do sexo masculino.

6 - Rasgar a meia calça na entrada da festa.

7 - Sentir-se pronta para conquistar o mundo, quando está usando um batom novo!

8 - Chorar no banheiro e depois ficar se olhando no espelho para ver qual é o melhor ângulo.

9 - Achar que o seu relacionamento acabou e depois descobrir que era tudo tensão pré-menstrual. (Esta é perfeita!!!!)

10 - Nunca saber se é para dividir a conta, ou se é para ficar meiguinha.

11 - Dizer não, para ele insistir bastante, e aí ter que dizer sim!


SÓ AS MULHERES ENTENDEM:

1 - Por que é bom ter cinco pares de sapatos pretos.

2 - A diferença entre creme, marfim, e bege claro.

3 - Achar o homem ideal é difícil, mas achar um bom cabeleireiro é praticamente impossível.


E O TÓPICO NÚMERO 1 QUE SÓ AS MULHERES ENTENDEM:

1 - As outras mulheres!


ORAÇÃO DAS MULHERES:
'Querido Deus,
Até agora o meu dia foi bom:
não fiz fofoca,
não perdi a paciência,
não fui gananciosa, sarcástica, rabugenta,
chata e nem irônica.
Controlei minha TPM,
não reclamei,
não praguejei,
não gritei,
nem tive ataques de ciúmes.
Não comi chocolate.
Também não fiz débitos em meu cartão de crédito
(nem do meu marido) e nem dei cheques pré-datados.
Mas peço a sua proteção, Senhor, pois estou para
levantar da cama a qualquer momento...
Amém!

domingo, 13 de setembro de 2009

Desabafo de uma Mulher



Este texto me enviaram por e-mail e dei risadas com o seu conteúdo.

Tava num clima meio ruim com o maridão e resolvi fazer uma
surpresa....
Comprei 250 velas de tamanhos diferentes, 10 dúzias de rosas
vermelhas.
Espumante, queijos e frutas e decorei toda a Casa.
Nosso quarto FICA no segundo andar e eu fiz um caminho de velas desde
a porta de entrada até o quarto... As escadas iluminadas, tudo lindo !!!
Chamei um casal de amigos para acender as 250 velas antes de chegarmos a casa.

A cama estava coberta com pétalas de flores...
Arranjos maravilhosos de antúrios ( flores que usamos no nosso
Casamento), além do espumante no gelo e as frutas, queijos e frios
Completavam o clima do quarto.

Guardamos o carro na garagem e pedi pro marido ir à frente que eu já
Estava saindo do carro.
Enquanto ele abria a porta eu tratei de tirar o vestido.
Fiquei só de lingerie e cinta-liga .
Imagina a cena...
Quando meu maridão(...) abriu a porta eu desci do carro.
Semi-nua, claro !!!

Quando olhei a cara do meu marido percebi que ele estava BRANCO.
Virou pra mim, sem perceber meu modelito, e gritou:
- A Casa tá pegando fogo!!!
Eu, calmamente, disse para ele olhar novamente..
Fiz até uma cara 'sexy' para dizer isso...
Ele abriu a porta mais uma vez e gritou, mais branco ainda :

- PUTA QUE PARIU !!!!!!!!!!
Não é incêndio !!!!!

É MACUMBA !!!!!!!!!!!!

Moral DA história?
Assim nascem OS Cornos!
às vezes eles não pedem, SUPLICAM!!!..... kkk*


Depois comecei a duvidar que a protagonista desta história foi quem elaborou aquela famosa oração das mulheres:

"Que os nossos homens nunca morram viúvos,e que os nossos filhos tenham pais ricos e mães gostosas!"

"Um brinde...Aos que temos,aos que tivemos e aos que teremos."

"Um brinde também aos namorados que nos conquistaram,aos trouxas que nos perderam,e aos sortudos que ainda vão conhecer-nos!"

"Que sempre sobre,que nunca nos falte,e que a gente dê conta de todos!
Amém."

P.S.: Os homens são como um bom vinho: todos começam como uvas e é dever da mulher pisá-los emantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia para o jantar.

Nada contra os homens,ao contrário, tudo a favor.

sábado, 12 de setembro de 2009

Geração sem avós


Uma das grandes recordações que eu guardo desde criança é a minha relação afetiva com meus avós. Especificamente quero me deter neste momento as figuras das minhas avós. Não que meus avôs não tenham tido um significado para mim, mas é a minha atenção neste momento que me conduz à elas.

Fisicamente as achava um pouco parecidas…ambas possuíam olhos claros, pele branca, estatura mediana. Mas, percebia algo a mais em comum que de certa maneira , o meu olhar e coração de criança as distinguiam de outras mulheres, inclusive da minha mãe: elas eram avós.

A ternura nos seus gestos, o sorriso largo diante nossas exibições para chamar suas atenções, o brilho do olhar ao nos ver saindo do carro indo em direção aos seus braços, a paciência para rever um filme que já assistiu e que estava se reeditando através dos netos, o prazer de fazer aquele bolo de laranja ou de chocolate aos sábados, o qual exalava pela casa inteira um cheiro que não era somente do bolo, mas um cheiro que tinha um significado de lar, de alegria, de afetividade , nos faziam entender a importância das avós em nossas vidas.Com elas, podíamos chorar, dizer o que sentíamos, porque o mínimo que obtínhamos era o seu acolhimento.

Olhando a face enrugada das minhas avós, eu percebia a velhice como algo bonito, natural que fazia parte da constituição da existência humana. Aqueles olhos azuis, cujos brilhos ofuscavam o cansaço das pálpebras, nunca saíram do meu pensamento diante tanta beleza e contraste. Com elas aprendi a olhar as rugas, não como algo que não deveriam fazer parte daqueles rostos, mas ao contrário, como algo que fazia parte do momento delas, em cada estágio das suas vidas. Elas não tinham vergonha de dizerem suas idades, nem muito menos de mostrarem o mapa da sua existência através das rugas que avançavam de acordo com o passar do tempo. Será que elas agiam assim, porque na época não existiam botox, lifting, sculptra,?...ou porque os princípios eram consolidados na aceitação do curso normal da natureza?...

Na verdade, tenho medo da figura da avó cheia de ternura, ser substituída por avós neuróticas, como estou vendo ultimamente. O que observamos hoje, é uma sociedade onde as pessoas seguem como zumbis aos ditames de que o que importa não é obter a felicidade, mas sim a “perfeição”. E nesta linha de raciocínio, ser perfeito é se manter jovem, belo, nem que tenham que comprar a beleza “eterna”. E neste atalho para driblar a velhice, as pessoas se desencontram de si e dos outros. E ai, muitos netinhos perdem suas avós, que de maneira obssecadas, buscam formas de se aproximarem dos netos de maneira errada. Ao invés delas curtirem a reedição dos filhos através dos netos, elas querem buscar reedições das suas juventudes.

Peço à Deus que me ilumine bastante, para ter a oportunidade e o prazer de ser uma avó saudável e carinhosa, para brincar com meus netinhos e permitir-lhes passar as mãozinhas no meu rosto e distingui-lo do da mãe e de outras mulheres.

Enquanto isto vou aproveitando para continuar curtindo meus filhos queridos, enquanto meus netos não vem.

sábado, 5 de setembro de 2009

"QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO"?


Ontem, peguei o filme "Quem quer ser um milionário?", para assistir. Não sei se peguei o melhor filme para uma sexta-feira à noite. Pois ver cenas do filme retratando a miséria da índia e ainda por cima conhecer uma história tão triste, me deixou afetada por alguns momentos, à ponto de querer desistir de ver o filme até o fim. O que me chamou atenção foram as respostas apresentadas pelo personagem num programa de televisão, a partir das sacadas do seu dia a dia de menino de rua e morador de uma favela.

Mas, tirando o emocionalismo, não entendo o porquê de muita gente ver nele o melhor filme do ano, como parece ser um consenso. O filme de Danny Boyle mais parece uma matinê, com pitadas de crônica social e muito de love story, apesar de considerar os personagens e a trilha musical de ótima qualidade. Mas, no meu ponto de vista há muito exagero nas avaliações sobre o filme. Ele não tem nada de obra-prima e o fato de se aproveitar de vários mecanismos não o transforma num filme sobre globalização. Sei lá, quem sabe outro dia posso vê-lo com um novo olhar.

My Journey

Trata-se de um blog pessoal, onde sinto-me à vontade para falar sobre my way and my journey.

Amigos que Acompanho

Acompanham-me..!!

Quem Sou

A minha foto

Eu pensei que me conhecia, mas eu me imaginava. Eu pensei que existiam somente duas Marys dentro de mim. Uma que eu a controlava, outra que me controlava. No entanto, comecei a tirar os véus da imaginação e me dei conta que existem muitas mulheres dentre deste corpo pequeno e frágil. Por isto, ele era tão complexo e vulnerável.A partir daí, comecei a compreender a fala da minha incompreensão, tentando ser menos severa comigo, para ser mais amável e tolerante para aceitar que sou o que sou, sem nenhum compromisso em querer ser politicamente correta para agradar aos outros. Isto me acalma e me faz ver-me diferente. Sou mulher, mãe, profissional, deusa, amante, cidadão do mundo, vivendo intensamente meu universo feminino. Isto é o que chamo de entrega de mim à mim, mesma. Sou seguidora incondicional de Jesus Cristo.

Bem....

Bem....

Obrigada pela visita e volte sempre!

Obrigada pela visita e volte sempre!