sexta-feira, 8 de maio de 2009

Olhos de madeira...

O livro Olhos de madeira, é o tipo de obra que requer do leitor um cuidado maior para entender o que ele chama de estranheza. Livro que vale à pena para quem aprecia leitura profunda.

Carlo Ginzburg reuniu nove ensaios reflexivos e nomeou-os em um livro com o título “Olhos de Madeira”, inspirado na figura do Pinóquio no famoso conto de Carlo Collodi. Podem ser olhos de madeira que nos olham estranhamente, de maneira fria, sem expressão ou podem ser os nossos olhos que deveriam ser estranhos olhos de madeira; penso que devam ser os dois.O autor nos leva por um mundo de personagens literários bastantes conhecidos no mundo cultural das letras começando com Marco Aurélio e chegando até os dias atuais. É um convite a olhar e ser olhado; é um convite a usar a pupila dos olhos para sermos pupilos dos olhos dos mestres; nos excita a sermos ingênuos e ao mesmo tempo, despretensiosos e com isso treinar e exercer o estranhamento. A proposição de Ginzburg é difícil e ao mesmo tempo instigante. Resta-nos a coragem de nos sentir bonecos de pau, para então começar a transformação em seres de carne, osso e sangue.

2 comentários:

  1. Oi
    Eu estou olhando alguns Blogs e quando acho interessante eu comento, gostei do teu os meus dois Blogs são sobre filmes se tu tiver interesse de conhecer sem compromisso te espero lá.

    Bjs

    Luciana

    ResponderEliminar
  2. Oi Mary, obrigada por retribuir a visita e pelo elogio, no começo do Blog é bem complicado mas depois que se acostuma só vai, vou te acompanhar anônima assim que faço com meus amigos se precisar de ajuda é só falar não sei muito de Blogs também, mas o que eu sei de repente pode ser bom pra ti.

    Bjs e uma ótima noite de sábado.

    Luciana

    ResponderEliminar

My Journey

Trata-se de um blog pessoal, onde sinto-me à vontade para falar sobre my way and my journey.

Amigos que Acompanho

Acompanham-me..!!

Quem Sou

A minha foto

Eu pensei que me conhecia, mas eu me imaginava. Eu pensei que existiam somente duas Marys dentro de mim. Uma que eu a controlava, outra que me controlava. No entanto, comecei a tirar os véus da imaginação e me dei conta que existem muitas mulheres dentre deste corpo pequeno e frágil. Por isto, ele era tão complexo e vulnerável.A partir daí, comecei a compreender a fala da minha incompreensão, tentando ser menos severa comigo, para ser mais amável e tolerante para aceitar que sou o que sou, sem nenhum compromisso em querer ser politicamente correta para agradar aos outros. Isto me acalma e me faz ver-me diferente. Sou mulher, mãe, profissional, deusa, amante, cidadão do mundo, vivendo intensamente meu universo feminino. Isto é o que chamo de entrega de mim à mim, mesma. Sou seguidora incondicional de Jesus Cristo.

Bem....

Bem....

Obrigada pela visita e volte sempre!

Obrigada pela visita e volte sempre!